CRM-DF fiscaliza maior hospital do Centro-Oeste e cobra providências do Governo local para resolver problemas encontrados

 

O relatório da fiscalização realizada pelo Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal (CRM-DF) no Hospital de Base de Brasília será encaminhada ainda esta semana para o Governo local.  Com detalhamento dos problemas detectados na unidade seguirá um pedido de providências urgentes para sanar as dificuldades e permitir o atendimento digno dos pacientes e uma assistência de qualidade.

O CRM-DF, em nota divulgada na quarta-feira (25), poucas horas após a vistoria, explica que uma nova  avaliação da unidade deverá ocorrer nas próximas semanas para verificar se os equívocos foram corrigidos. Na oportunidade, os fiscais do Conselho serão acompanhados por representantes do Ministério Público, como aconteceu na visita de hoje.

Entre os problemas encontrados constam indícios de má gestão, que têm levado o Hospital de Base a um quadro de desabastecimento de insumos e medicamentos no Hospital, colocando em situação de risco pacientes e profissionais. Médicos que atuam na unidade afirmam que ela sofre com a carência de medicamentos (antibióticos, quimioterápicos, analgésicos) e insumos (gases, esparadrapos, compressas, fios cirúrgicos). Também há dificuldade de acesso a exames para diagnóstico e monitoramento dos pacientes graves.

“A fiscalização realizada no Hospital de Base aconteceu para evitar que a gravidade desse quadro continue a ferir a dignidade humana e os princípios éticos da assistência em saúde, num contexto de insegurança técnica que tem gerado a suspensão de procedimentos eletivos e até a limitação do acolhimento de novos casos (adultos e pediátricos)”, ressaltou o CRM-DF em sua nota.

Confira abaixo a íntegra da nota:

 

logo

Brasília, 25 de novembro de 2014.

NOTA SOBRE FISCALIZAÇÃO NO HOSPITAL DE BASE DE BRASÍLIA

 

Em decorrência de constantes denúncias e queixas de pacientes e médicos sobre a qualidade dos serviços prestados pelo Hospital de Base de Brasília, o maior da Região Centro-Oeste e o único habilitado para atender casos de altíssima complexidade no Distrito Federal, o Conselho Regional de Medicina do DF informa que:

     1) Acompanhado por representantes do Ministério Público, foi feita fiscalização na unidade na manhã desta quarta-feira (25 de novembro), quando foram avaliadas as condições de funcionamento de diferentes setores da unidade, com foco no centro cirúrgico;

     2) Os fiscais constataram inúmeros problemas, os quais serão detalhados em relatório de fiscalização a ser encaminhado à Secretaria de Saúde do GDF para conhecimento e tomada urgente de providências;

     3) As situações encontradas reforçam os indícios de problemas de gestão, que têm levado a um quadro de desabastecimento de insumos e medicamentos no Hospital, colocando em situação de risco pacientes e profissionais;

     4) O caso do Hospital de Base de Brasília se insere na grave crise que afeta a saúde pública no Distrito Federal, conforme relataram os 19 chefes de serviços cirúrgicos que atendem no local;

    5) Pelo relato dos médicos, o que orientou a fiscalização do CRM-DF, há algumas semanas o Hospital de Base sofre com a carência de medicamentos (antibióticos, quimioterápicos, analgésicos) e insumos (gases, esparadrapos, compressas, fios cirúrgicos). Também há dificuldade de acesso a exames para diagnóstico e monitoramento dos pacientes graves;

    6) Entre os procedimentos que, de acordo com os médicos, estão sendo afetados constam: os de acesso venoso profundo; os tratamentos com antibióticos (antibioticoterapia); e a intubação para manutenção das vias aéreas, etc.;

    7) A fiscalização realizada no Hospital de Base aconteceu para evitar que a gravidade desse quadro continue a ferir a dignidade humana e os princípios éticos da assistência em saúde, num contexto de insegurança técnica que tem gerado a suspensão de procedimentos eletivos e até a limitação do acolhimento de novos casos (adultos e pediátricos).

 Finalmente, o CRM-DF ressalta que nas próximas semanas, nova vistoria deverá ser realizada, também com o apoio do Ministério Público, para verificar se equívocos apontados foram corrigidos e a situação do atendimento e de trabalho dos profissionais foi normalizada.

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO DISTRITO FEDERAL

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.